Nestlé divulga avanço no plano para fornecer cacau livre de desmatamento até 2025 - Mercado do Cacau
Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

Nestlé divulga avanço no plano para fornecer cacau livre de desmatamento até 2025

Nestlé divulga avanço no plano para fornecer cacau livre de desmatamento até 2025
  • 01
  • ★★★★★

A Nestlé informou nesta segunda-feira os avanços que fez em seu projeto de fornecimento de cacau livre de desmatamento até 2025 e de obtenção de 100% de seu cacau de forma sustentável. Segundo a empresa, mais de 400 hectares de florestas na Reserva Florestal Cavally – uma das maiores florestas da Costa do Marfim – e nas florestas de Beki e Toa Zèo foram restaurados desde o início do projeto.

“Mapeamos mais de 125 mil fazendas na Costa do Marfim e em Gana, bem acima da meta original de 2022 (de 88 mil fazendas)”, destacou a empresa em nota.

Em ambos os países, este ano, mais de 1 milhão de árvores florestais e frutíferas foram entregues para agricultores, elevando o total distribuído para mais de 2,2 milhões. “Temos também agora mais de 90 mil agricultores formados em boas práticas agrícolas”, ressaltou a Nestlé.

A empresa de alimentos afirmou que, na Costa do Marfim, usa o satélite Starling para monitorar as mudanças na cobertura florestal na reserva Cavally Forest, após bons resultados obtidos com o sistema para a cadeia de óleo de palma.

Já na América Latina, a Nestlé contratou o sistema Global Risk Assessment Services (GRAS) para avaliar os riscos de desmatamento em áreas produtoras do Brasil, Equador, México e Venezuela.

A empresa criou, ainda, um programa de aceleração de renda, em que os agricultores receberão incentivos em dinheiro para realizar atividades agroflorestais, como o plantio de árvores para sombreamento. Fonte: Isto É Dinheiro

Deixe seu comentário para Nestlé divulga avanço no plano para fornecer cacau livre de desmatamento até 2025

Já temos 1 Comentário(s)! Deixe o Seu :)

Resposta de Adailton Machado de Castro

Tudo narrativas, esses Países citados produz com mão de obra escravos, diferente do Brasil que as leis trabalhistas que a esquerda criou e defende impedi os agricultores de cacau a produzirem com esse preço lá em baixo.

★★★★★ Em 24-05-2022 às 14-02h Responder 5
Avalie Este Conteúdo: 1 2 3 4 5
[Aguarde, Buscando Dados!]
Notícias Relacionadas