CACAU - SEMANAL 26/03/2021 Mercado de Futuros - Mercado do Cacau
Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

CACAU - SEMANAL 26/03/2021 Mercado de Futuros

Por Caio Santos - Operador de commodities agricolas da Stone X

Os preços do cacau em NY encerraram a última semana em queda de -1,4% (-35), pressionados pelo cenário de amplo abastecimento de cacau da Costa do Marfim, o maior produtor mundial. O governo da Costa do Marfim informou que até 28/mar as entregas acumuladas de cacau nos portos do país desde o início da safra estavam em 1,643 MMT, -0,1% em relação ao ano passado, mas ainda bem à frente em relação à média. Além disso, em Gana (segundo maior produtor), as entregas estão quase 10% à frente em relação ao ano anterior – no agregado entre os dois países, as entregas seguem quase 7% à frente em relação ao acumulado no mesmo período do ano anterior.

As preocupações com a demanda também contribuíram com o viés mais baixista da semana passada. A demanda de chocolate na Europa tende a continuar sofrendo após a França, Itália e Alemanha terem ampliado as suas medidas de restrição em virtude da pandemia, numa tentativa de conter a terceira onda de Covid.

Os fundamentos mais amplos para o cacau contam com a projeção divulgada em de 26 de fevereiro da Organização Internacional do Cacau (ICCO) de que a produção global de cacau 2020/21 irá subir +2,5% a/a para 4,8 MMT e que o excedente global de cacau 2020/21 irá aumentar para um superávit de +102.000 MT a partir de +10.000 MT em 2019/20.

Ainda, dados da terça-feira passada do Equador, o terceiro maior exportador de cacau do mundo, também reforçaram o tom baixista dos negócios, mostrando que as exportações de cacau do país de 1 de outubro a 28 de fevereiro subiram +14% a/a a 175.288 TM.

As perspectivas de um amplo abastecimento de cacau e a fragilidade da demanda internacional são os principais vetores baixistas para o momento.  A StoneX projeta que o excedente global de cacau 2020/21 aumentara para +140.000 MT. Projetamos também que a produção global de cacau 2020/21 aumentará +4,7% a/a para 4,9 MMT devido a recuperação de produção da Costa do Marfim e Gana em especial.

O que ainda pode trazer mais suporte para os preços é a gradual recuperação da demanda global no médio prazo. Em 11 de março, dados do grupo exportador Gepex, um grupo de seis dos maiores moedores de cacau do mundo, mostrou que o processamento de cacau na Costa do Marfim em fevereiro aumentou +1,8% a/a para 45.087 MT.

No início do ano, os preços do cacau encontraram suporte em dados de moagem melhores do que o esperado do quarto trimestre na Ásia e América do Norte. Entre Jan-mar, as estimativas preliminares apontam para um recuo entre 2-3% na moagem global. Os dados dos maiores polos processadores devem sair entre a primeira e segunda semana de abril.

No curto prazo, notícias otimistas em relação à superação da pandemia e o fortalecimento do euro e da libra devem promover suporte às cotações. Sem a presença desses dois fatores, correções mais expressivas podem ser observadas. Suportes para a tela de maio se encontram em 2415, com alvo no movimento de baixa até a região de 2357. Um fechamento acima de 2531 é necessário para reacender o viés altista para as cotações.

Deixe seu Comentário em CACAU - SEMANAL 26/03/2021 Mercado de Futuros:

Sua participação é muito importante para nós!

Colunas Relacionadas

Publicidade

Vídeos

Vídeos