Carbono e o Cacau - Mercado do Cacau
Aguarde! Carregando...
X

Mercado do Cacau

Carbono e o Cacau

Assunto recorrente nas conversas sobre aquecimento global, a retenção de Carbono ficou mais evidente nesta semana com o acontecimento da COP26 e toda discussão sobre a redução da emissão de gases efeito estufa que teve participação de líderes mundiais e onde o tom foi de urgência na união de estratégias dos 10 países mais poluidores do mundo.

Muito se fala sobre a emissão de gases de efeito estufa e o foco na redução destes é prioritário. Mas o que chamamos de sequestro de carbono, feito pelas folhas e eventualmente armazenado no solo para depois ser usado por essas mesma plantas como fonte de alimento, é um grande aliado na redução da temperatura global e aparece sempre como coadjuvante como solução para esse problema da humanidade.

Não é muito claro para a população que “Carbono” é a base da vida neste planeta, mas sempre confundido e interpretado como vilão, pois o Gás Carbônico é um dos maiores responsáveis pelo aquecimento global. Mas o carbono, que nutre as plantas, o solo e faz parte de tudo que é vivo, é um aliado e muito importante na cadeia de recuperação da saúde do planeta.

A retenção de carbono pelas plantas e especialmente por áreas de florestas traz uma oportunidade de gerar recursos pela compensação de créditos de carbono, algo ainda pouco explorado e entendido, mas também pelos programas menores e mais localizados como Pagamento de Serviços Ambientais, os PSA que remuneram quem protege a natureza.

Vários esforços por produtores de cacau da nossa região tem sido feitos nos últimos anos para que os agricultoras do Cacau Cabruca sejam compensados pela manutenção das grandes árvores da nossa rica mata. E também poderem ser compensados legalmente pelo manejo sustentável da madeira retirada de suas áreas, sempre observando o protocolo AMC – Autorização do Manejo da Cabruca. Mas isso também não é claro e difundido entre os produtores.

Mas vamos olhar para o cacau e sua relação com o sequestro de carbono, especialmente o Cacau Cabruca que está presente no sul da Bahia ainda em grande parte, sendo o sistema mais utilizado na agricultura do “fruto dos deuses” na nossa região.

Em estudos feitos por pesquisadores da UESC, estima-se que nossa região retenha aproximadamente 90 milhões de toneladas de carbono na cobertura florestal total. Mas as Cabrucas, nossas agroflorestas, representam metade desta retenção, especialmente as tradicionais onde arvores de grande porte ainda existem, sendo responsáveis por grande parte do trabalho.

Isso é um número incrível se comparado com outras regiões e tipos de agriculturas. Mas devemos nos manter alertas e vigilantes. É sabido que o adensamento dos cacauais e a constante eliminação de árvores para otimizar a insolação e produtividade podem trazer uma redução substancial nestes números, o que não seria desejável ambientalmente.

Temos que achar o equilíbrio perfeito entre preservar e produzir com a oportunidade de manter uma sustentabilidade econômica para nossa região, que vai além da produtividade, sempre tendo a preservação ambiental do nosso rico bioma como aliada. Uma política pública, com o governo sendo parceiro e com uma clara “tabela” para remuneração é o que vai trazer a conscientização para o produtor de cacau de que vale à pena manter a floresta em pé. Além de esclarecimento sobre a importância e o papel de nossas Cabrucas para a retenção de carbono e a sustentabilidade do nosso solo.

Voltando à COP26, a Embrapa divulgou para o evento um mapa de estoque de carbono orgânico nos solos brasileiro, o que vai ajudar a identificar áreas onde se pratica Economia Verde. Os mapas, criados em parceria entre Embrapa Solos e Embrapa Agricultura Digital, vão fornecer informações sobre essa retenção em profundidades no solo de até 2 metros.

Aqui vemos mais um esforço do Brasil em mostrar como e onde a nossa agricultura pode contribuir para o sequestro de carbono e como isso pode influenciar os investimentos em formas mais sustentáveis para se agricultar no nosso vasto país.

O Cacau Cabruca, que já é naturalmente e por vocação um candidato a protagonista nesta cadeia de Economia Verde, merece seu devido destaque com um olhar mais atento de nossos governantes para que possamos manter essas práticas com sustentabilidade e nos orgulhar da grande contribuição que nós, agricultores de cacau, fazemos para que nosso planeta continue habitável, produtivo e gerando riquezas para a humanidade, além de deliciosos chocolates!

Cacau Cabruca e Carbono, elos inseparáveis na cadeia de sustentabilidade!

@valepotumuju

@baianichocolates

Deixe seu Comentário em Carbono e o Cacau:

Sua participação é muito importante para nós!

Colunas Relacionadas

Publicidade

Vídeos

Vídeos